setembro 2018
DSTQQSS
       1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30       
« ago   out »
 

Diretrizes de Saúde Animal – Animais Terapeutas Silvestres e Exóticos

 Aves

  • As aves deverão se submeter à avaliação de seu estado de saúde por profissionais médicos veterinários da ONG/OSCIP Patas Therapeutas.
  • Serão aceitas somente que não estejam em período reprodutivo, assim como com filhotes.
  • Deverão ser realizados exames a cada 4 (quatro) meses a fim de identificar a presença de Micobateria sp, Salmonella sp, Claimidia, Aspergilus, ectoparasitas e endoparasitas, de acordo com o cronograma divulgado pela ONG Patas Therapeutas.
  • Os comprovantes deverão ser entregues aos coordenadores/responsáveis da ONG.
  • A não apresentação dos documentos no tempo estipulado implicará na proibição da visita do animal às instituições.
  • Comportamento inadequado: a ave será afastada da atividade, avaliada por um(a) comportamentalista e se necessário, conduzida dessensibilização. Em seguida, após a reavaliação, será analisado se a ave estará apta para o retorno nas atividades.

Cuidados que o proprietário deve manter com o seu animal:

  • Manter as unhas sempre curtas e lixadas;
  • Manter o animal limpo e bem tratado;
  • Portar junto com a ave, papel higiênico e água para as necessidades da mesma.

Roedores/Lagomorfos (Coelhos)

  • Os roedores/lagomorfos deverão se submeter à avaliação de seu estado de saúde por profissionais médicos veterinários da ONG/OSCIP Patas Therapeutas.
  • Serão aceitos somente animais fora do período reprodutivo, assim como com filhotes.
  • Deverão ser realizados exames a cada 4 (quatro) meses contra Bordetella sp. Pasteurella sp., ectoparasitas e endoparasitas; e realização de vacinação anual contra raiva, de acordo com o cronograma divulgado pela ONG/OSCIP Patas Therapeutas.
  • Os comprovantes deverão ser entregues aos coordenadores/responsáveis da ONG.
  • A não apresentação dos documentos no tempo estipulado implicará na proibição da visita do animal às instituições.
  • Comportamento inadequado: o roedor/lagomorfo será afastado da atividade, avaliado por um(a) comportamentalista e se necessário, conduzido dessensibilização. Em seguida, após a reavaliação, será analisado se o animal estará apto para o retorno nas atividades.

Cuidados que o proprietário deve manter com o seu animal:

  • Manter as unhas sempre curtas;
  • Manter o animal limpo e bem tratado. Para isto, é indicado banho mensal e de preferência próximo à data da visita. 

 Quelônios/Répteis

  • Os quelônios/ répteis deverão se submeter à avaliação de seu estado de saúde por profissionais médicos veterinários da ONG/OSCIP Patas Therapeutas.
  • Serão aceitos somente animais fora do período reprodutivo, assim como com filhotes.
  • O exame coproparasitológicos deverá ser feito trimestralmente, de acordo com o cronograma divulgado pela ONG/OSCIP Patas Therapeutas.
  • Os comprovantes deverão ser entregues aos coordenadores/responsáveis da ONG.
  • A não apresentação dos documentos no tempo estipulado implicará na proibição da visita do animal às instituições.
  • Comportamento inadequado: o quelônio/réptil será afastado da atividade, avaliado por um(a) comportamentalista e se necessário, conduzido dessensibilização. Em seguida, após a reavaliação, será analisado se o animal estará apto para o retorno nas atividades.

Cuidados que o proprietário deve manter com o seu animal:

  • Manter as unhas sempre curtas;
  • Manter o animal limpo e bem tratado. Para isto, é indicada higienização semanal e uma hora antes da visita.

Responsável: 
Dra. Patrícia Maria Pascoal – CRMV – SP nº. 12.424

Consultora especializada em silvestres: 
Dra. Erica Couto – CRMV – SP nº. 19.883

Enviando ...

Assine nossa newsletter

Fique por dentro das novidades da Patas Therapeutas.