Patas na Mídia

Animais auxiliam no tratamento de crianças na Santa Casa de São Paulo

O Portal G1, da Globo, acompanhou as visitas que fazemos aos pacientes da Santa Casa de São Paulo e como quebramos a monotonia dos quartos hospitalares com nossos therapeutas.

Animais auxiliam no tratamento de crianças na Santa Casa de São Paulo

Semanalmente, os pacientes da ala de pediatria da Santa Casa de São Paulo recebem a visita de cães, gatos, coelhos e pássaros, que auxiliam no tratamento e quebram a monotonia dos quartos hospitalares.

O departamento de pediatria do hospital firmou uma parceria com a ONG Patas Therapeutas, que promove terapia assistida por animais a crianças e adolescentes. Todos os animais são treinados, vacinados e castrados.

A terapia consiste em visitar com o acompanhamento de um profissional de saúde, que avalia a interação das crianças com os animais. A técnica terapêutica melhora a memória de longo e curto prazo, a interação em grupo, incentiva o exercício e desenvolve habilidades motoras, aumenta a autoestima e reduz a depressão. “Em termos médicos a gente tem uma melhor sociabilização e certamente uma melhora na adesão da criança e na mudança na percepção da criança em relação ao ambiente hospitalar”, afirma o diretor da pediatria da Santa Casa, Rogério Pecchini.

“Mesmo que ela não esteja sorrindo, quando chega ela fica muito feliz. Pra gente é muito gratificante”, conta a dona de casa Josete da Silva, mãe de Marcela, uma das pacientes da Santa Casa.

Os animais são voluntários, assim como os donos, que também participam da atividade. Segundo a superintendente da ONG Patas Therapeutas, os animais que participam da terapia devem ser bastante sociáveis e não se incomodar com cheiros e sons. “Eles têm que ouvir barulho e não ter nenhuma reação nem quando mexer nas várias partes do corpo. Isso vai fazer com que a interação seja intensa.”

A ONG leva animais a outros três hospitais da capital. Voluntários podem se candidatar para o trabalho por meio do site www.patastherapeutas.org.

Link original.