Patas na Mídia

Entenda como são feitas as visitas da ONG/OSCIP Patas Therapeutas

São Paulo, abril de 2015 – Em busca de métodos alternativos que interfiram positivamente no tratamento de patologias, muitos hospitais vêm aderindo às formas de terapia que estimulam aspectos físicos e emocionais dos pacientes, e os auxiliam a lidar com determinados quadros clínicos. Um exemplo disso é a Terapia Assistida por Animais (TAA), em que cães, gatos, aves interagem com os pacientes, gerando bem estar e criando um ambiente agradável de socialização.

Uma das principais organizações especializadas nesse tipo de terapia é a OSCIP Patas Therapeutas, formada por uma equipe de voluntários e profissionais que trabalham com seus próprios animais – que atendem aos critérios internacionais de comportamento e saúde – em instituições como a Irmandade Santa Casa Misericórdia São Paulo, Hospital Infantil Darcy Vargas e Residencial Israelita Albert Einstein. As visitas periódicas duram em torno de uma hora e promovem a movimentação de alguns dos pacientes, auxiliando na coordenação motora, e também garantem a sensação de carinho e percepção do animal como semelhante em questão de vulnerabilidade, beneficiando o aspecto emocional de crianças e idosos. O contato com o animal propicia a liberação de hormônios como endorfina e dopamina, e reduz o cortisol, hormônio do estresse.

“As visitas trazem alegria não só para os assistidos, mas também para os familiares e voluntários. Quando chegamos às instituições, ocorre uma movimentação muito grande e isso transforma o ambiente hospitalar, tornando-o mais agradável. Além do benefício da afetividade do animal, os envolvidos também são estimulados cognitivamente e fisicamente”, afirma Silvana Prado, psicóloga e fundadora do Patas Therapeutas.
Para mais detalhes sobre as datas e horários das visitas do Patas Therapeutas, basta acessar a agenda da ONG/OSCIP.