setembro 2018
DSTQQSS
       1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30       
« ago   out »
 

Archive

O prefeito João Doria sancionou nesta quarta-feira (7), o Projeto de Lei n º 355/2017, de autoria do vereador Rinaldi Digilio, que propõe a liberação da entrada de animais domésticos, como cachorros, gatos e pássaros, em visitas para pacientes internados em hospitais públicos municipais da cidade de São Paulo. A proposta foi aprovada na Câmara Municipal de São Paulo em segunda e definitiva votação, no dia 14 de dezembro e a sanção foi publicada na última edição do Diário Oficial da Cidade (DOC). Até a sanção do Projeto de Lei n º 355/2017 não existiam normativas e regras que permitiam a visita dos pets em hospitais públicos municipais, mesmo com estudos que mostram os benefícios psicossociais do contato com os bichos. A Secretaria Municipal da Saúde já conta com um projeto semelhante, em parceria com a ONG Patas Therapeutas, que promove visitas quinzenais para as crianças internadas especificamente no Hospital Menino Jesus. Estudos da ONG Patas mostram que as visitas nestes casos trazem benefícios para a saúde, pois ao brincar com o animal, ocorre na criança a liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina. Há também a diminuição da liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. “As visitas de animais, conforme mostram alguns estudos, podem ajudar e muito na melhora de pacientes, por meio da Terapia Assistida por Animais. Em outros casos, o animal doméstico não só faz parte da família, como é o único companheiro fiel do paciente, por isso, é importante uma lei, uma normativa que permita essa entrada e os médicos definirem isso de forma objetiva, com regras de saúde pública”, afirmou o vereador Rinaldi Digilio. O Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, já permite a visita de animais de estimação para ajudar na recuperação dos pacientes internados na unidade. Além de cachorros, a visita também é permitida para gatos, pássaros e até coelhos. A permissão, que ocorre desde 2009, visa além da recuperação física, o bem-estar mental. No estado do Paraná, em dezembro do ano passado, foi promulgada a Lei nº 18.918/2016, que também permite as visitas de animais nos hospitais públicos, com regras semelhantes. “O prefeito deu mais um passo para uma cidade mais acolhedora e que se abre para diferentes métodos de saúde, como a terapia animal, que é reconhecida em todo o mundo como uma prática de excelentes resultados e com custos menores”, disseDigilio Regras Para a visita, a nova lei exige que os animais estejam com a vacinação em dia e higienizados com laudo veterinário atestando a boa condição do animal. A comissão de infectologia de cada hospital será a responsável por autorizar a entrada dos animais, que deverão estar em recipiente ou caixa...

Pacientes internados em hospitais públicos da cidade de São Paulo agora podem receber visitas de seus animais de estimação. A lei foi publicada na edição desta quarta (7) do “Diário Oficial”. Até então, não existiam regras para a entrada de pets em hospitais municipais. Para o vereador Rinaldi Digilio (PRB), autor da proposta, a presença do bichinho pode contribuir no tratamento. “As visitas de animais, conforme mostram alguns estudos, podem ajudar e muito na melhora de pacientes, por meio da Terapia Assistida por Animais. Em outros casos, o animal doméstico não só faz parte da família como é o único companheiro fiel do paciente, por isso é importante uma lei, uma normativa que permita essa entrada”, diz. REGRAS Apesar da permissão, há regras para que pacientes passem alguns momentos ao lado dos animais. Cada hospital determinará normas e procedimentos próprios para organizar tempo e local onde ocorrerá a visitação. No entanto, o “Diário Oficial da Cidade” já estabelece alguns pontos. O texto determina que a visita ocorra mediante solicitação e autorização do médico responsável pelo paciente e que seja agendada previamente na administração da unidade. O pet deve estar vacinado e higienizado, e o responsável deve comprovar, por laudo veterinário, as boas condições de saúde do bichinho. A entrada no hospital dependerá de autorização da comissão de infectologia. Os pets devem ser levados em recipiente ou caixa de transporte adequados. No caso de cães e gatos, devem ter guias e coleiras e, se necessário, enforcador e focinheira. VISITA PET A visita de animais já é rotina em algumas unidades de saúde. Projeto da Secretaria Municipal da Saúde leva o Patas Therapeutas quinzenalmente para brincar com crianças internadas no Hospital Menino Jesus. O Hospital Albert Einstein, por exemplo, também permite a visita de animais de estimação para ajudar na recuperação dos pacientes. No Paraná, lei promulgadas em dezembro de 2016 também permite visitas de animais nos hospitais públicos. Link original....

Em Brasília essa moda também podia pegar: a Câmara Municipal de São Paulo aprovou, em definitivo, o Projeto de Lei n º 355/2017, de autoria do vereador Rinaldi Digilio, que propõe a liberação da entrada de animais domésticos, como cachorros, gatos e pássaros, em visitas para pacientes internados em hospitais públicos municipais da cidade de São Paulo. Atualmente, não existem normativas e regras que permitam a visita dos pets em hospitais públicos municipais, mesmo com estudos que mostram os benefícios psicossociais do contato com os bichos. O projeto de lei já tinha sido aprovado em primeira votação e, agora, vai para a sanção do prefeito João Doria, que decidirá se a proposta vira lei ou não. Estudos da ONG Patas Therapeutas mostram que as visitas a pessoas hospitalizadas trazem benefícios para a saúde, pois, ao brincar com o animal, ocorre a liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina. Há também a diminuição da liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. O Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, já permite a visita de animais de estimação para ajudar na recuperação dos pacientes internados na unidade. Além de cachorros, a visita também é permitida para gatos, pássaros e até coelhos. A permissão, que ocorre desde 2009, visa além da recuperação física, o bem-estar mental. No estado do Paraná, em dezembro do ano passado, foi promulgada a Lei nº 18.918/2016, que também permite as visitas de animais nos hospitais públicos, com regras semelhantes. “As visitas de animais, conforme mostram alguns estudos, podem ajudar e muito na melhora de pacientes, por meio da Terapia Assistida por Animais. Em outros casos, o animal doméstico não só faz parte da família, como é o único companheiro fiel do paciente, por isso, é importante uma lei, uma normativa que permita essa entrada e os médicos definirem isso de forma objetiva, com regras de saúde pública”, afirmou o vereador Rinaldi Digilio. Regras Para a visita, o projeto exige que os animais estejam com a vacinação em dia e higienizados com laudo veterinário atestando a boa condição do animal. A comissão de infectologia de cada hospital será a responsável por autorizar a entrada dos animais, que deverão estar em recipiente ou caixa adequada. No caso de cães e gatos, devem estar em guias presas por coleiras e, se necessário, de enforcador e focinheiras. O projeto ainda diz que os hospitais criarão normas e procedimentos próprios para organizar o tempo e o local de permanência dos animais para a visitação dos pacientes internados. Além disso, a presença do animal se dará mediante a solicitação e autorização do médico responsável pelo paciente, com a visita agendada previamente na administração do hospital,...

O prefeito João Dória sancionou a lei 355/2017, do vereador Rinaldi Digilio, que propôs a liberação da entrada de animais domésticos em hospitais públicos municipais da cidade. Além do cachorro, a passagem passa a ser livre para gatos e pássaros. Para a visita, a nova lei exige que os animais estejam com a vacinação em dia e higienizados com laudo veterinário atestando a boa condição do animal. A comissão de infectologia de cada hospital será a responsável por autorizar a entrada dos animais, que deverão estar em recipiente ou caixa adequada. No caso de cães e gatos, devem estar em guias presas por coleiras e, se necessário, de enforcador e focinheiras. A nova lei ainda diz que os hospitais criarão normas e procedimentos próprios para organizar o tempo e o local de permanência dos animais para a visitação dos pacientes internados. Além disso, a presença do animal se dará mediante a solicitação e autorização do médico responsável pelo paciente, com a visita agendada previamente na administração do hospital, respeitando a solicitação do médico e critérios estabelecidos por cada instituição. Apesar da lei abranger hospitais municipais, o particular Albert Einstein já permite a visita de animais de estimação a pacientes internados. A permissão ocorre desde 2009 e visa a recuperação física e o bem-estar mental. Estudos mostram que há benefícios psicossociais do contato com animais. A Secretaria Municipal de Saúde tem firmada uma parceria com a ONG Patas Therapeutas, que atua no Hospital Menino Jesus. Link original....

Os vereadores de São Paulo aprovaram em dezembro de 2017, em segunda votação, o projeto de lei que permite a visita de animais domésticos a pacientes internados em hospitais públicos da cidade. A proposta, foi encaminhada para a sanção ou veto do prefeito João Doria. Para o autor do projeto, o vereador Rinaldi Digilio, a presença do pet pode ajudar no tratamento e recuperação dos pacientes. “As visitas de animais, conforme mostram alguns estudos, podem ajudar e muito na melhora de pacientes, por meio da Terapia Assistida por Animais. Em outros casos, o animal doméstico não só faz parte da família, como é o único companheiro fiel do paciente. Por isso, é importante uma lei, uma normativa que permita essa entrada e os médicos definirem isso de forma objetiva, com regras de saúde pública”, afirma o vereador. Atualmente, não existem regras que permitam a entrada de animais em hospitais públicos municipais. Segundo a proposta, os pets deverão estar com vacinação em dia, higienizados e com laudo veterinário que ateste boa saúde do animal. Além disso, cada hospital deverá criar suas normas de tempo e local de permanência dos animais. A visita ocorrerá após solicitação e autorização do médico responsável pelo paciente e deverá ser previamente agendada. Algumas unidades de saúde já permitem a visita de animais. O Patas Therapeutas, um projeto da Secretaria Municipal da Saúde, leva, a cada quinze dias, animais para brincar com crianças internadas no Hospital Menino Jesus. O Hospital Albert Einstein também permite a visita de animais de estimação para ajudar na recuperação dos pacientes. No Paraná, uma lei aprovada em dezembro de 2016 também permite visitas de animais nos hospitais públicos. Link original....

O objetivo é permitir que os animais de estimação possa ter contato com seus donos que estejam internados em hospitais públicos da cidade de São Paulo. O projeto, do vereador Rinaldi Digilio (PRB), está tramitando na Câmara Municipal de São Paulo. De acordo com o vereador, a ideia não é só liberar a entrada de cães ou gatos,  mas de qualquer animal doméstico. Periquitos, hamster ou coelhos, também terão acesso aos hospitais caso o projeto seja aprovado. Rinaldi explica que, para ter a visita liberada, o animal tem que comprovar todas as vacinas em dia, estar saudável e higienizado. O projeto não obriga os hospitais a autorizarem a entrada dos animais, mas visa garantir às pessoas que desejem ter a visita do seu animal, tenham base legal e segurança jurídica para isso. Visitas de animais domésticos já são autorizadas, desde 2009, no Hospital Albert Einsten, inclusive existe também a autorização para permanência do animal com seu dono. As normas são as mesmas apresentadas no projeto. O vereador fez postagem em seu facebook sobre a divulgação do tema nas mídia. A Patas Therapeutas e outras ONGs voltadas aos animais possuem estudos que comprovam os benefícios para o paciente que recebe a visita de seu animal de estimação. O encontro promove a liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina, além de diminuir a liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. Link original....

Um projeto que prevê a liberação da entrada de animais de estimação nos hospitais públicos da cidade de São Paulo está tramitando na Câmara Municipal. O objetivo é permitir que os pets possam visitar os pacientes internados. De acordo com o vereador Rinaldi Digilio (PRB) , responsável pelo projeto, a ideia é liberar o acesso de todos os animais domésticos, e não somente cães e gatos. Ou seja, periquitos, hamster e coelhos, por exemplo, também estarão liberados para entrar nos hospitais se o projeto for aprovado. Digilio ressalta que o animal deve estar com os comprovantes de vacinação em dia e higienizados para poder entrar. O projeto de lei não obriga que todos os hospitais de São Paulo autorizem a entrada e sim, garante que aqueles que querem receber, o façam com base legal e segurança jurídica. Desde 2009, o hospital particular Albert Einsten permite a entrada de animais domésticos com as mesmas normas estabelecidas no projeto e, em alguns casos, autoriza até a permanência do pet com o seu companheiro e amigo. Estudos de ONGs como o Patas Therapeutas mostram que o paciente, ao receber a visita de um animal, tem liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina, além da diminuição da liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. Link original....

Sempre ao seu lado. Visita será permitida após liberação de médico e comissão de infectologia dos hospitais municipais O Prefeito de São Paulo, João Doria, sancionou o Projeto de Lei (PL) 355/2017), do vereador Rinaldi Digilio (PRB), para que animais de estimação possam entrar em hospitais públicos para visitar pacientes. De acordo com a Lei 16.827, de 6 de fevereiro, os bichos autorizados deverão estar com a vacinação em dia e higienizados, devendo o responsável comprovar essas condições por meio de um laudo do veterinário. A nova legislação ainda estabelece que a entrada do animal no hospital dependerá da permissão da comissão de infectologia da instituição. Os bichos deverão ser transportados em caixas adequadas. No caso de cães e gatos, é necessário o uso de guias presas por coleira. Os hospitais criarão procedimentos próprios para organizar o tempo e o local de permanência dos animais para a visitação dos pacientes. O uso de bichos para o tratamento das pessoas tem se mostrado eficiente. De acordo com a pesquisa “Desenvolvendo a afetividade de idosos institucionalizados através de animais”, elaborada pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (Universidade de São Paulo), a zooterapia – tratamento por intermédio de animais – trouxe benefícios positivos à qualidade de vida dos idosos. Para o vereador Digilio, essa proposta é fundamental para a recuperação da pessoa. “Quando o paciente está em um hospital, muitas vezes ele tem em seu animal de estimação um refúgio de carinho e alegria”, justificou. A visita de animais já é rotina em algumas unidades de saúde. Projeto da Secretaria Municipal da Saúde leva o Patas Therapeutas quinzenalmente para brincar com crianças internadas no Hospital Menino Jesus. O Hospital Albert Einstein, por exemplo, também permite a visita de animais de estimação para ajudar na recuperação dos pacientes. No Paraná, lei promulgadas em dezembro de 2016 também permite visitas de animais nos hospitais públicos. Hospital abre as portas Pesquisas confirmaram que a presença de animais de estimação contribui para melhorar a pressão sanguínea, para aumentar a imunidade, para reduzir a ansiedade e angústia, além de outros benefícios. Uma pesquisa, publicada no “Journal of Allergy and Clinical Immunology”, acompanhou resultados clínicos de crianças alérgicas e aquelas que tinham um animal em casa apresentaram 33% de melhora nas alergias. Outra pesquisa, publicada no “Journal of Pediatrics” observou que crianças de até 4 anos que tinham os bichinhos de estimação mostraram menor taxa de inflamações na pele, coceiras e vermelhidões. Animais igualmente demonstraram ajudar na qualidade de vida dos casais, porque contribuem com a redução do stress e estimulam mudanças de hábitos. Observando os resultados surpreendentes na recuperação e até na melhor eficácia de tratamentos médicos oferecidos, alguns hospitais começaram a permitir a entrada de animais de estimação para ter contato com os pacientes. No Canadá, um hospital chamado...

Segundo o vereador Rinaldi Digilio (PRB), responsável pelo projeto, a ideia é liberar o acesso de todos os animais domésticos, e não somente cães e gatos. Ou seja, periquitos, hamster e coelhos também. Um projeto que prevê a liberação da entrada de animais domésticos nos hospitais públicos da cidade de São Paulo está tramitando na Câmara Municipal. O objetivo é permitir que os animais possam visitar os pacientes internados. Digilio ressalta que o animal deve estar com os comprovantes de vacinação em dia e higienizados para poder entrar. O projeto de lei não obriga que todos os hospitais de São Paulo autorizem a entrada e sim, garante que aqueles que querem receber, o façam com base legal e segurança jurídica. Desde 2009, o hospital particular Albert Einsten permite a entrada de animais domésticos com as mesmas normas estabelecidas no projeto e, em alguns casos, autoriza até a permanência do animal com o seu companheiro e amigo. Estudos de ONGs como o Patas Therapeutas mostram que o paciente, ao receber a visita de um animal, tem liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina, além da diminuição da liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. Fonte original....

O prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) sancionou nesta quarta-feira (7), o Projeto de Lei n º 355/2017, de autoria do vereador Rinaldi Digilio (PRB), que autoriza a liberação da entrada de animais domésticos, como cães e gatos, para visitar pacientes internados nos hospitais públicos da capital paulista. Digilio ressaltou que o animal deve estar com os comprovantes de vacinação em dia e higienizados para poder entrar. “O prefeito deu mais um passo para uma cidade mais acolhedora e que se abre para diferentes métodos de saúde, como a terapia animal, que é reconhecida em todo o mundo como uma prática de excelentes resultados e com custos menores”, disse. O projeto de lei não obriga que todos os hospitais de São Paulo autorizem a entrada e sim, garante que aqueles que querem receber, o façam com base legal e segurança jurídica. Desde 2009, o hospital particular Albert Einsten permite a entrada de animais domésticos com as mesmas normas estabelecidas no projeto e, em alguns casos, autoriza até a permanência do pet com o seu companheiro e amigo. Estudos de ONGs como o Patas Therapeutas mostram que o paciente, ao receber a visita de um animal, tem liberação de neurotransmissores hormonais responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar como a endorfina, a dopamina e a oxitocina, além da diminuição da liberação do cortisol, que é o hormônio do estresse. Link original....

Enviando ...

Assine nossa newsletter

Fique por dentro das novidades da Patas Therapeutas.