Archive

O parceiro Cidade Canina divulgou uma matéria sobre nosso trabalho.  Patas Therapeutas, a cura animal Uma coisa é certa, ninguém gosta de hospitais! Quem precisa de tratamento médico, por mais animado que esteja sempre é abatido pelo medo da doença, a preocupação do tratamento e a esperança de que dias melhores virão. E nada melhor que um animal de estimação para o paciente, seus parentes e até mesmos os profissionais se abastecerem de amor e carinho incondicional que só um focinho molhado sabe dar. Ai que entra a auxilio da ONG Patas Therapeutas. Formada por uma equipe de voluntários e profissionais, desde de 2012 a ONG leva a hospitais, abrigos e asilos a Terapia Assistida por Animais. Essa técnica é cientificamente comprovada e tem benefícios aos pacientes em diversas áreas de atuação Físico • Melhorar as habilidades motoras finas; • Melhora as habilidades para a condução cadeiras de rodas, andadores e etc; • Melhorar a posição de equilíbrio; Saúde Mental • Aumentar interações verbais entre os membros do grupo; • Aumentar as habilidades de atenção (ou seja, prestar atenção, permanecer na tarefa); • Desenvolver habilidades de lazer / recreação; • Aumentar a auto-estima; • Reduzir a ansiedade em geral; • Reduzir a solidão e depressão. Educacional • Aumentar o vocabulário; • Ajudar na memória de longo ou curto prazo; • Melhorar o conhecimento de conceitos como tamanho, cor, etc.; • Melhorar a vontade de se envolverem em uma atividade de grupo; • Melhorar as interações com os outros; • Aumento exercício; • Motivacional. “Isto ocorre porque as pessoas projetam no animal, principalmente no cão, seus sentimentos. “Percebem” que o animal é tão vulnerável quanto elas. Este processo chama-se identificação projetiva, ou seja, se identificam com o bicho, onde este passa a ajudar na recuperação, tornando-se a força motivadora que melhora o tratamento.”Link original....

As crianças internadas no Hospital Infantil Darcy Vargas, na zona sul de São Paulo, tiveram uma surpresa de carnaval nesta quarta-feira (11). Cachorros paramentados com acessórios carnavalescos fizeram uma visita e chamaram a atenção nos corredores e quartos por onde passaram.O evento foi organizado pela ONG Patas Therapeutas, que faz visitas periódicas ao hospital e outras instituições. "A gente traz os animais como maneira de humanizar o local. Fazemos o resgate do mundo exterior e trazemos para dentro. As crianças andam, brincam e se sentem motivadas", diz Silvana Fedeli Prado, superintendente técnica da organização.Os cachorros, que pertencem aos voluntários da ONG, passam por um treinamento e por um teste rígido antes de serem aprovados para fazerem as visitas. Cerca de 10 participaram do evento nesta quarta-feira, entre eles o golden retriever Namour, o vira-lata Spike e a shitsu Lola.Vídeo no link original....

O site Difundir destacou a nossa qualificação como OSCIP.  ONG Patas Therapeutas é qualificada como OSCIP A ONG Patas Therapeutas, que pratica terapias assistidas por animais para ajudar no tratamento de pacientes com diversas patologias, acaba de ser qualificada, pelo Ministério da Justiça, como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).Com esta qualificação, a ONG terá suas contas analisadas pelo Ministério da Justiça e qualquer interessado poderá conhecer com propriedade suas atividades e seu grau de empenho social.Link original....

O Portal do IG conheceu o trabalho feito na Santa Casa, trazendo os benefícios das visitas.Cãoterapia: o sucesso da terapia de quatro patas na ala pediátrica do hospital Segunda-feira é dia de festa na ala pediátrica da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Os motivos têm quatro patas e pelos fartos: são os cães da ONG Patas Therapeutas, que fazem visitam periódicas às crianças internadas. O resultado imediato é o sorriso da molecada e em curto prazo a equipe já percebe maior adesão ao tratamento e atitudes mais sociáveis. Namour e Maria Eduarda têm ambos seis anos. Ele é um dócil golden retriever em busca de carinho. Ela, uma garotinha que se trata de um câncer no sistema nervoso. Assim que se viram no hospital, ela olhou com desconfiança para Namour. Só ousou encostar nos pelos dourados do animal, após o estímulo do pai e da mãe. Ainda ressabiada, a menina foi perdendo o medo. No fim, já estava abraçado ao cachorro que, além de ter sua idade, tem praticamente sua altura. Maria Eduarda teve um neuroblastoma, câncer infantil que tem incidência maior do que a leucemia. Já retirou o tumor e agora está fazendo o tratamento padrão. E agora sabe que, exceto a primeira segunda-feira de cada mês, em todas as outras ela poderá ter o dia preenchido por mais carinho, este por conta de um ser de quatro patas. “As crianças deixam sua família, escolas, amiguinhos e às vezes até animais de estimação para ficarem aqui, se submetendo a tratamentos que são dolorosos. O que a gente faz é pegar o mundo de fora e trazer para dentro do hospital”, explica Silvana Fedeli Prado, fundadora da ONG Patas Therapeutas. “A gente resgata todo esse vínculo afetivo, eleva a autoestima das crianças”. E é bem assim. Marcus Vinicius Francisco, um garoto de 13 anos que está internado há pouco mais de um mês, ficou só sorrisos quando Paraná, um dos cães, que não tem raça definida, subiu no leito para lhe fazer companhia. Kayla Carvalho, garota de nove anos em tratamento contra uma leucemia, também teve seu momento com Paraná: pôde passear com o cãozinho veterano em terapia assistida. Paraná tem 14 anos.O diretor da pediatria da Santa Casa de Misericórdia, Rogério Pecchini, diz que a terapia assistida com animais é fantástica. “Além de trazer alegria durante as visitas, porque tem a questão do inusitado, a criança se mobiliza, melhora o humor, a adesão ao tratamento e socialização com a equipe. Qualquer coisa que possa induzir uma distração para as crianças é importante”, comenta.E o bom é que ninguém corre o risco de levar uma mordida. “Os animais são escolhidos pela ONG pela docilidade e capacidade de serem controlados, e são acompanhados pelos seus...

O Portal G1, da Globo, acompanhou as visitas que fazemos aos pacientes da Santa Casa de São Paulo e como quebramos a monotonia dos quartos hospitalares com nossos therapeutas.Animais auxiliam no tratamento de crianças na Santa Casa de São PauloSemanalmente, os pacientes da ala de pediatria da Santa Casa de São Paulo recebem a visita de cães, gatos, coelhos e pássaros, que auxiliam no tratamento e quebram a monotonia dos quartos hospitalares.O departamento de pediatria do hospital firmou uma parceria com a ONG Patas Therapeutas, que promove terapia assistida por animais a crianças e adolescentes. Todos os animais são treinados, vacinados e castrados.A terapia consiste em visitar com o acompanhamento de um profissional de saúde, que avalia a interação das crianças com os animais. A técnica terapêutica melhora a memória de longo e curto prazo, a interação em grupo, incentiva o exercício e desenvolve habilidades motoras, aumenta a autoestima e reduz a depressão. “Em termos médicos a gente tem uma melhor sociabilização e certamente uma melhora na adesão da criança e na mudança na percepção da criança em relação ao ambiente hospitalar”, afirma o diretor da pediatria da Santa Casa, Rogério Pecchini.“Mesmo que ela não esteja sorrindo, quando chega ela fica muito feliz. Pra gente é muito gratificante”, conta a dona de casa Josete da Silva, mãe de Marcela, uma das pacientes da Santa Casa.Os animais são voluntários, assim como os donos, que também participam da atividade. Segundo a superintendente da ONG Patas Therapeutas, os animais que participam da terapia devem ser bastante sociáveis e não se incomodar com cheiros e sons. “Eles têm que ouvir barulho e não ter nenhuma reação nem quando mexer nas várias partes do corpo. Isso vai fazer com que a interação seja intensa.”A ONG leva animais a outros três hospitais da capital. Voluntários podem se candidatar para o trabalho por meio do site www.patastherapeutas.org.Link original....

O Portal do Governo do Estado de São Paulo destacou os benefícios e efeitos da convivência com animais nas quartas-feiras no Hospital Darcy Vargas.Amigos de patas: conheça Paraná e Namour, os cães voluntários do Hospital Infantil Darcy Vargas Todas as quartas-feiras no Hospital Darcy Vargas os pacientes, os funcionários e os pais já sabem que sempre receberão uma visita muito especial.  Nos quartos e corredores, além das crianças internadas também há os cachorros, como Paraná e Namour, e os gatos do projeto da ONG Patas Therapeutas. "Do diretor ao porteiro todos nós esperamos eles chegarem para ver o Namour e o Paraná toda a semana. Eles [os animais] se preparam para vir aqui, são higienizados e tem controle de saúde", afirma Dr. Sérgio Sarrubbo, diretor técnico da instituição.O Hospital Darcy Vargas, que realiza cerca de 250 internações por mês, utiliza animais na recuperação de crianças internadas, parte delas em tratamento contra o câncer, e as proporcionam momentos de descontração e felicidade. Essa ajuda aos pacientes serve para que eles enfrentem o período de internação com mais disposição, melhorando a saúde física, social, emocional e funcionamento cognitivo deles. "As crianças que não podem sair da cama a gente faz as visitas nos quartos e as crianças que conseguem se locomover a gente faz os encontros nas brinquedotecas", explica a fundadora da ONG Patas Therapeutas, Silvana Fedeli Prado.Os cães Paraná e Namour entre outros percorrem os setores de oncologia, nefrologia, hematologia e a clínica geral, acompanhados dos voluntários. Eles passam por um rigoroso protocolo de treinamento de comportamento e de saúde animal.[embed]https://youtu.be/oz5Fc6TqcxY[/embed]  Link original....

Participamos de uma matéria para o Portal G1, da Globo, contanto um pouco sobre os benefícios e efeitos da convivência com animais em uma das visitas que acontecem uma vez por semana, no Hospital Darcy Vargas.Cachorros ajudam na recuperação de pacientes de hospital de SP Para auxiliar no tratamento de crianças internadas no Hospital Darcy Vargas, na Zona Sul de São Paulo, a ONG Patas Therapeutas leva cachorros para visitá-las todas as quartas-feiras. Os cães ajudam os pequenos pacientes a enfrentar a rotina com mais alegria, como mostrou reportagem do SPTV desta quarta-feira (25).Os cães passam por um treinamento rigoroso e só vão para a terapia os de raças bastante afetivas. Os cachorros passeiam pelos corredores e, aos poucos, os pacientes vão saindo dos quartos, se aproximando dos animais. Quando a criança não pode sair da cama, o animal vai até o quarto para a visita.Larissa Silvestre Oliveira, de 10 anos, esperava ansiosa pela visita da cachorrinha favorita dela. “Ficamos mais alegres. É um dia especial”, conta a menina.“Eles entraram no hospital para trazer prazer e alegria. Trazer carinho, afeto e alegria colabora profundamente com o processo terapêutico”, conta o diretor técnico do Hospital Darcy Vargas, Sérgio Sarrubo. Veja um vídeo no link original....

Enviando ...

Assine nossa newsletter

Fique por dentro das novidades da Patas Therapeutas.